Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Que Deus?

por Zulmiro Sarmento, em 07.11.11
Nota: Belo texto para meditar...
..
Quem quer que sejas, onde quer que estejas
Diz-me se é este o mundo que desejas
Homens rezam, acreditam, morrem por ti
Dizem que estás em todo o lado mas não sei se já te vi
Vejo tanta dor no mundo pergunto-me se existes
Onde está a tua alegria neste mundo de homens tristes
Se ensinas o bem porque é que somos maus por natureza?
Se tudo podes porque é que não vejo comida à minha mesa?
Perdoa-me as dúvidas, tenho que perguntar
Se sou teu filho e tu amas porque é que me fazes chorar?
Ninguém tem a verdade o que sabemos são palpites
Se sangue é derramado em teu nome é porque o permites?
Se me destes olhos porque é que não vejo nada?
Se sou feito à tua imagem porque é que durmo na calçada?
Será que pedir a paz entre os homens é pedir demais?
Porque é que sou discriminado se somos todos iguais?
..
Porquê que os Homens se comportam como irracionais?
Porquê que guerras, doenças matam cada vez mais?
Porquê que a Paz não passa de ilusão?
Como pode o Homem amar com armas na mão? Porquê?
Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
E se eu escolher o meu caminho, será que me aceitas?
Quem és tu? Onde estás? O que fazes?
Não sei Eu acredito é na Paz e no Amor…
..
Por favor não deixes o mal entrar no meu coração
Dou por mim a chamar o teu nome em horas de aflição
Mas tens tantos nomes, és Rei de tantos tronos
E se o Homem nasce livre porque é que é alguns são donos?
Quem inventou o ódio, quem foi que inventou a guerra?
Às vezes acho que o inferno é um lugar aqui na Terra
Não deixes crianças sofrer pelos adultos
Os pecados são os mesmos o que muda são os cultos
Dizem que ensinaste o Homem a fazer o bem
Mas no livro que escreveste cada um só leu o que lhe convém
Passo noites em branco quase sem dormir a pensar
Tantas perguntas, tanta coisa por explicar
Interrogo-me, penso no destino que me deste
E tudo que acontece é porque tu assim quiseste
Porque é que me pões de luto e me levas quem eu amo?
Será que essa é a justiça pela qual eu tanto reclamo?
Será que só percebemos quando chegar a nossa altura?
Se calhar desse lado está a felicidade mais pura
Mas se nada fiz, nada tenho a temer
A morte não me assusta o que assusta é a forma de morrer
..
Quanto mais tento aprender, mais sei que nada sei
Quanto mais chamo o teu nome menos entendo o que te chamei
Por mais respostas que tenha a dúvida é maior
Quero aprender com os meus defeitos, acordar um homem melhor
Respeito o meu próximo para que ele me respeite a mim
Penso na origem de tudo e penso como será o fim
A morte é o fim ou é um novo amanhecer?
Se é começar outra vez então já posso morrer.
 
in "Ritmo, Amor e Palavras"
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 04:16

MESMO ASSIM

por Zulmiro Sarmento, em 31.10.11

Se você tem sucesso em suas realizações,
ganhará falsos amigos e verdadeiros inimigos.
Tenha sucesso MESMO ASSIM.

O bem que você faz será esquecido amanhã.
Faça o bem MESMO ASSIM.

A honestidade e a franqueza o tornam vulnerável.
Seja honesto MESMO ASSIM.

Aquilo que você levou anos para construir,
pode ser destruído de um dia para o outro.
Construa MESMO ASSIM.

Os pobres têm verdadeiramente necessidade de ajuda,
mas alguns deles podem atacá-lo se você os ajudar.
Ajude-os MESMO ASSIM.

Se você der ao mundo e aos outros o melhor de si mesmo,
você corre o risco de se machucar.
Dê o que você tem de melhor MESMO ASSIM.

Madre Teresa de Calcutá

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:38

Neste Natal...

por Zulmiro Sarmento, em 29.12.09

 

Neste Natal faça da vida
Um presente de amor
A todo o coração
Que sente… 
Esquece o frio lá fora
Porque o calor
Avança sem demora
Da entrega desse amor…

 

Neste Natal é você o presente

Que aquece o coração
De Jesus
Deixa guiar-te por essa luz
Que nasce, para o envolver 
Em dourados laços
Do brilho sem compassos…  

 

Neste Natal

Há um perfume no ar
Para cada Amigo
E com ele, uma Estrela a brilhar
É Jesus consigo!..
 
Muita saúde, amor e paz!
Feliz Natal!!!
 
Regi.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:02

Dívidas e prioridades nas compras... em vésperas do Natal

por Zulmiro Sarmento, em 24.11.09

Perto de três milhões de portugueses têm sérias dificuldades em pagarem as suas despesas normais. «São quase 850 mil casas, com famílias tipicamente numerosas, que estão severamente atingidos pela crise, reduzindo os seus gastos em produtos de grande consumo em 3,1%» – refere um estudo de uma empresa de comunicação ligada às questões de economia. Os sectores mais atingidos nos cortes nas despesas foram a alimentação e os produtos de limpeza para a habitação. Nota-se ainda uma ligeira mutação nos hábitos de compras, pois os inquiridos disseram que vão menos vezes às compras, mas compram em maior quantidade, sendo os preferidos a comida pronta, os congelados e as sobremesas... evitando gastos em restauração.

Outros dados recolhidos pela mesma empresa referem ainda que, nos primeiros nove meses deste ano, os portugueses preferiram comprar roupa – aproveitando sobretudo as promoções e os saldos – em detrimento de artigos para a alimentação.

Se estas notícias acrescentarmos que o índice de desemprego está em 9,8%, com mais de meio milhão de atingidos (547 mil), estamos a viver uma época difícil que nem os festejos natalícios irão encobrir as mazelas mais fétidas da nossa sociedade... De facto, teremos de ter alguma contenção para não corrermos o perigo de ofendermos quem está a passar maiores dificuldades e para sermos dignos da confiança depositada pelos outros... em nós, cristãos.

* Noção dos riscos... avaliação das possibilidades
Numa época em que se tenta exaltar a ambição – económica ou social, profissional ou nacional, pessoal ou de grupo – temos de saber discernir os riscos, as possibilidades e as deficiências... dos nossos anseios e projectos.
- Quantas vezes pessoas e famílias se deixam seduzir por empréstimos ‘fáceis’ e depois têm dificuldade em honrar os compromissos, levando os bancos e outros emprestadores a sugarem as suas parcas economias, deixando-lhes cicatrizes de difícil gestão...
- Quantas vezes pessoas e famílias embarcam em promoções ‘baratas’, mas que passado pouco tempo se tornam imbróglios com ramificações tentaculares de indisfarçáveis consequências até para os vindouros...
- Quantas vezes pessoas e famílias se deixam arrastar para projectos ‘ambiciosos’ mas que mais não são do que teias de habilidosos profissionais ao sabor das cumplicidades de incautos assanhados pela vaidade...
Perante estas breves considerações, necessitamos de nos questionarmos sobre se sabemos – ou disso temos correcta consciência – avaliar as mais variadas ‘ambições’ com que temos de nos enfrentar... continuamente.

* Avaliação dos riscos... noção das possibilidades
Por vezes corremos o risco de ora nos agigantarmos, ora nos vitimizarmos perante as múltiplas situações onde se envolve o nosso presente e o nosso futuro, pois das correctas decisões de hoje dependerá um amanhã de confiança, tanto em si mesmo como para os outros: não nos podemos hipotecar, sem a necessária avaliação dos riscos e as nossas possibilidades futuras.
- Quantas vezes uma má avaliação dos riscos pode manifestar um incorrecto conhecimento de si mesmo e das suas potencialidades, desde as conhecidas até àquelas que estão em embrião.
- Quantas vezes uma negligente noção das reais possibilidades poderá levar-nos a criar imagens desfasadas da prossecução dos objectivos mínimos... e exequíveis.
- Quantas vezes se pode notar uma certa desconexão entre os passos dados e as passadas intentadas, pois as metas pretendidas (até) estão demasiado longe das etapas percorridas.
Agora que caminhamos rumo à época natalícia, tentemos ser sóbrios nas compras, nos presentes ou nas prendas, pois o respeito pelos outros manifestar-se-á pelo comedimento pessoal, familiar e social... em tempos de crise ou a tentarmos (já) sair dela!

A. Sílvio Couto
ECCLESIA
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Um poema amigo nos meus 50 anos feitos hoje, 13 de Setembro

por Zulmiro Sarmento, em 13.09.09

                            O Sol nasceu para fazer brilhar

                       O dom que há em si de amar…
                       As Estrelas, para cintilar
                       O dom do seu viver…
                       A Lua, para despertar o seu sonho
                       Num cântico real …
                       O Mar, para o aproximar
                       Da outra margem;
                       Do amor, da Amizade
                       E da fraternidade...  
                       As Flores, para ser o perfume
                       Das suas mãos…
                       As Árvores, para ser o seu abraço
                       Da esperança.  
                       É neste seu caminhar que a vida
                       Floresce num poema
                       De crescente melodia pela voz
                       Que guia!..
                       Um abraço de felicidade!..
                       Que os seus sonhos se tornem realidade
                       E que a sua vida seja um sonho,
                       com a graça de Deus!
 
                       Regi.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:59

Da minha simpática amiga Regina por ocasião dos meus 24 anos de sacerdócio ministerial (Missa Nova)

por Zulmiro Sarmento, em 16.07.09

Com um simples gesto mas intenso
Felicito-O com alegria
Pelos Seus 24 anos de entrega,
Ao povo que acarinha e conduz
Lançando a semente da palavra...

Onde floresce no coração
E se transforma em luz!
Essa beleza nasce como o girassol
E roda sempre à volta do sol,
Crescendo amizade de valores
Com brilho e o encanto das flores...

A noite faz-se dia e o dia eleva a noite…
Onde a imagem transparece
Mesmo quando anoitece…
É o brilho confiante do Seu olhar
Que faz caminhar
De encontro à verdadeira Luz!..

Obrigada pela mão amiga…
Pela palavra que guia…
Pela presença continua de amor e paz!
É Deus, que a Sua presença me traz…
 
Que Deus sempre seja a Luz do Seu caminhar...
Muitas felicidades!
 
Regina

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:13

QUANTO VALE A AMIZADE DE CORAÇÕES SIMPLES E BONS!...

por Zulmiro Sarmento, em 03.07.09

 



A Sua amizade tem a beleza da flor!...



A Sua amizade tem o encanto
do Céu e do mar abraçado à terra!.. 



A Sua amizade eleva o rosto!...



A Sua amizade tem o perfume
da rosa e o brilho do cristal!...
 
 
Lembro-me de Si todos os dias
Nas minhas orações peço por Si
Porque a minha vida mudou
Desde que o meu caminho,
Consigo se cruzou…
 
Estas imagens de beleza
Com carinho Lhe ofereço,
São reflexos
Do seu abraço moral…
Onde o rosto resplandece
Na margem acarinhada
Da firmeza de um tronco
Onde engrandece…
 
Hoje o meu caminhar
São pétalas que encontro
Mais reflexos do Seu olhar
Onde a lágrima brilha
Como o cristal
Regando com carinho
O sorriso que eleva
O Jesus Menino!...
 
Muitas felicidades pelos
Seus 24 anos de sacerdócio!
Obrigada pela luz que me irradiou
Do momento;
Que para mim não passou…
Onde o meu coração gravou…
Muita saúde e amor de Deus!
 
Regina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:15

«NATAL», um poema da colega e professora da Escola Cardeal, encontrado no meu cacifo, dos membros do Clube "A Magia das Ciências"

por Zulmiro Sarmento, em 26.12.08

Já se sente

o pulsar acelerado

do coração de todos nós.

Que nesta quadra os nossos Corações

que todos os dias vivem

dias distintos e irreversíveis,

sintam apenas o que de melhor

existe em cada um de nós.

Que esses Corações não sejam

Corações de professores,

alunos, assistentes, poetas,

artistas, músicos, físicos,

químicos, biólogos, geólogos,

informáticos, matemáticos, filólogos,

geógrafos, historiadores, filósofos, teólogos,...

Que esses Corações sejam

simplesmente Corações,

Corações que pulsem com vontade

de sonhar.

 

Marta Oliveira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:58

ENTÃO É NATAL!

por Zulmiro Sarmento, em 25.12.08

 

Então é Natal!
Há luzes piscando por todos os lugares.
Pessoas correndo apressadas, cheias de pacotes e embrulhos bonitos.
Listas de presentes enormes, muita comida no frigorifico e bebidas especiais.

Então é Natal!
Despedida temporária da escola.
Pessoas nervosas nas filas das caixas electrónicas.
Pessoas aborrecidas nos estacionamentos.

Então é Natal!
A tua lista de presentes está pronta?
Não está faltando alguém?
Jesus aparece na tua lista?
Qual é o teu presente para Ele?

Não, não precisas de te desculpares por te teres esquecido Dele.
Nem precisas de sair correndo para  o Parque  Atlântico, que vai ficar aberto  até  à meia
noite.
Nem coloques um prato a mais na tua mesa da Ceia.
Basta que coloques Jesus no teu coração e não te esqueças do  seu  pedido mais  marcante:   - Ama o próximo como a ti mesmo!
Por isso, se ainda tens alguma desavença, alguma coisa mal resolvida com qualquer pessoa,
antes  de  comemorares  o  Natal,  antes  de  abrires  os  presentes tão  caprichosamente
embrulhados, levanta-te e vá em busca daquele que vai estar ausente nesse Natal.
Levanta-te e procura o teu irmão ofendido, procura o teu amigo magoado.
Procura aquele que tem algo contra ti e perdoa.
Procura aquele que ofendes-te e pede-lhe perdão.
Retira qualquer sombra e mágoa do teu coração.
Mesmo  que  não  aceitem  o  teu perdão, mesmo que a pessoa não  acredite  no teu  pedido,
o teu coração ficará tranquilo e o presente de JESUS garantido.                   
                    
 
 
                                                           
Adaptado do Texto de Walter Perazzo por Fátima Rocha  
 
 
                                                        
 
                                               UmSantoeFeliz Natalparatodos
 
                                              

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 10:04

Nascemos, nascemos, nascemos

por Zulmiro Sarmento, em 10.12.08

Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez.

Para quem quiser ver a vida está cheia de nascimentos.

Nascemos muitas vezes ao longo da infância

quando os olhos se abrem em espanto e alegria.

Nascemos nas viagens sem mapa que a juventude arrisca.

Nascemos na sementeira da vida adulta,

entre invernos e primaveras maturando

a misteriosa transformação que coloca na haste a flor

e dentro da flor o perfume do fruto.

Nascemos muitas vezes naquela idade

onde os trabalhos não cessam, mas reconciliam-se

com laços interiores e caminhos adiados.


Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez.

Nascemos quando nos descobrimos amados e capazes de amar.

Nascemos no entusiasmo do riso e na noite de algumas lágrimas.

Nascemos na prece e no dom.

Nascemos no perdão e no confronto.

Nascemos em silêncio ou iluminados por uma palavra.

Nascemos na tarefa e na partilha.

Nascemos nos gestos ou para lá dos gestos.

Nascemos dentro de nós e no coração de Deus.


O que Jesus nos diz é: "Também tu podes nascer",

pois nós nascemos, nascemos, nascemos.

 

José Tolentino Mendonça

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:13


formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D