Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


CAMINHAR COM O PROFETA ISAÍAS

por Zulmiro Sarmento, em 15.12.14

Published: 7 de Dezembro de 2014

CAMINHAR COM O PROFETA ISAÍAS – 7 de Dezembro de 2014

 

1. No tempo do Advento a liturgia oferece-nos um companheiro de caminho. É o profeta Isaías. Poderia perguntar-se quem é este profeta que iluminou os caminhos do Povo de Deus no meio das suas dificuldades. Os estudiosos da Sagrada Escritura sabem que o Livro do Profeta Isaías tem três partes de autores diferentes. A primeira parte, escrita por volta de 750 a.C., faz a história do povo de Israel com a promessa de um Messias que iria libertar Jerusalém das grandes dificuldades que suportava. O Deutero-Isaías, escrito por volta de 587 a.C., segunda parte, descreve o Servo de Javé, o Messias Redentor, que ao entrar na história do Povo de Deus irá sofrer por ele, para dar-lhe a salvação. É o tempo do cativeiro da Babilónia. A última parte, escrita por volta de 520 a.C., terceiro Isaías, canta o regresso do Povo de Israel a Jerusalém, depois de todas as angústias vividas no cativeiro. A liturgia deste tempo de Advento oferece textos retirados de partes diversas do Livro de Isaías, mas a proposta é sempre a da esperança na salvação.
A promessa do Messias, razão de toda a esperança, é oferecida num texto carregado de beleza (v. Is 11, 1-10).

• “Sairá um ramo do tronco de Jessé e um rebento brotará das suas raízes”. É o primeiro grande anúncio do Salvador. O tronco de Jessé é David e o Messias prometido será da sua descendência. O senhor virá.

• “Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, espírito de sabedoria, de inteligência, de conselho, de fortaleza, de conhecimento, de temor de Deus. A justiça será a faixa dos seus rins e a lealdade a cintura dos seus flancos”. Na força do Espírito todas as coisas se podem transformar e um mundo novo vai surgir.

• “O lobo viverá com o cordeiro, a pantera dormirá com o cabrito, o leão comerá feno com o boi, e o menino meterá a mão na toca da víbora”. Esta é uma descrição maravilhosa do tempo novo a surgir com a chegada do Messias, com a certeza de que ninguém vai praticar o mal, porque o Senhor estará sempre presente em tudo e em todos.

No mundo de hoje ninguém se deixa conduzir pelo Espírito, não se acolhe Jesus, o Messias de sempre. Daí resultam os egoísmos, que geram conflitos, os interesses que provocam violência, os orgulhos acumulados que destroem a paz: é urgente abrir o coração ao rebento de Jessé, a Jesus que vem para transformar a Terra.

2. O Povo de Israel atravessava tempos de dificuldade. O rei Acaz não acreditava ser possível a transformação do seu reino. Não tinha, porém, coragem de pedir a Deus um sinal de esperança. Isaías foi ao seu encontro com anúncio claro da vinda do Salvador: “Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho e o seu nome será Emanuel”. Os historiadores referem que esta virgem, uma donzela, seria a mulher de Acaz e que veio a ter um filho, razão de esperança para o rei. Este acontecimento, porém, adquiriu dimensão profética, porque a salvação deveria ser muito mais profunda, quando Deus enviasse ao mundo o seu próprio filho. (v. Is 7, 10-14).

• Uma virgem conceberá – é o anúncio de Maria, a mãe do Filho de Deus. Ela soube dizer sim ao projecto da redenção. Perante a proposta do Anjo Gabriel, soube discernir e acabou por dizer com toda a verdade: “eis a escrava do Senhor”, isto é, servirei o Senhor como Ele quiser. É um sim sem condições.

• E dará à luz um filho – é a certeza do nascimento de um Menino a quem será dado o nome de “Jesus”, isto é, aquele que vem salvar. A história de Jesus será depois a história da redenção da humanidade.

• O seu nome será Emanuel – é a afirmação clara de que a redenção e a salvação são dons de Deus, já que Emanuel quer dizer Deus connosco. O mistério do nascimento do Salvador, a que vulgarmente se chama Natal, outra coisa não é que um extraordinário gesto de amor de um Deus que ama tanto o mundo que lhe dá o seu Filho Unigénito (cf. Jo 3, 16).

Os cristãos de hoje assumem a sua responsabilidade perante os problemas do mundo. Se no tempo da promessa, Isaías anunciou um Emanuel, se no tempo da realização da promessa veio Jesus como Salvador, no tempo actual o cristão, intervindo na história, torna-se nova encarnação do Deus que salva, presença viva de Jesus que transforma o mundo. É missão dos cristãos tratarem da ordem temporal, para que esta glorifique o Criador e Redentor.

3. Todo o projecto exige uma execução em tempo. De que vale ter ideias maravilhosas se não se converterem na prática. A própria fé sem obras é morta. Neste tempo de Advento, Isaías continua a ensinar que há coisas concretas para fazer. O terceiro livro de Isaías começa mesmo por evocar a Deus, dizendo: “o Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu e me enviou” (Is 61, 1). Esta palavra do profeta supõe uma intervenção clara na cidade dos homens. O Emanuel que vem, não quer que o ser humano se relacione apenas com Deus, quer que olhe o outro e o sirva com generosidade. (v. Is 61, 1-11). De facto, o Messias é enviado:

• Para dar a boa nova aos pobres, e boas notícias não são apenas as palavras de conforto, exige-se o conhecimento das dificuldades, a partilha de bens e uma presença continuada que se torna sacramento de salvação.

• Para curar os corações atribulados, o que supõe tempo para conversar, silêncio para reflectir, sorriso para dar esperança, apoio concreto naquilo que se revelou dificuldade maior.

• Para dar a liberdade aos prisioneiros e a redenção aos cativos, pois nada pior do que a perda da decisão nos momentos mais importantes da vida, uma vez que a liberdade é condição fundamental para a dignidade humana.

• Para promulgar o ano da graça do Senhor, uma vez que do Senhor só pode vir a capacidade de perdão, de reconciliação, de paz.

Jesus na sinagoga de Nazaré irá fazer seu este texto de Isaías, chamando os cristãos a serem eles no tempo presente anunciadores da Boa Nova, solidários com os pobres e oprimidos, capazes de acompanharem todos os que sofrem, instaurando um tempo novo, um tempo de reconciliação e de paz (cf Lc 4, 19 ss). Neste Advento os cristãos têm o dever de concretizar no seu espaço de vida, a família, o trabalho, o grupo social, esta exigência de acção que nos vem do profeta Isaías e que Jesus nos convida a viver.

4. Na comunidade paroquial do Campo Grande deixar-se conduzir por Isaías no tempo do Advento será deixar entrar Jesus Menino na vida de cada um e ser capaz de O fazer crescer nas actividades em que se está envolvido. Não se prepara o Natal sem provocar a vinda do Senhor, não Jesus de há 2000 anos, mas o Jesus de hoje que é o Jesus de sempre. Descubra cada um de nós, membros da comunidade paroquial, como vai provocar o nascimento do Menino Jesus.

Pe. Vitor Feytor Pinto - Prior

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:04



formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D