Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dados escondidos: os infectados com o virus da SIDA aumentou entre os jovens

por Zulmiro Sarmento, em 20.01.11
A taxa de infectados com o vírus do HIV entre os 13 e os 20 anos de idade em Espanha passou do 1,8% em 2004 para os 9,7% em 2009, segundo os dados do Centro Sandoval de Madrid apresentados no último congresso de Gesida. No entanto, o Ministério de Saúde nega esta informação apesar de estarem confirmados pelas próprias estatísticas desta identidade.

A ameaça de que isto se converta numa epidemia entre a juventude espanhola, motivou o Centro Jurídico Tomás Moro (CJTM) a solicitar ao Ministério da Saúde que adoptasse “novas campanhas de luta contra o HIV juvenil, fomentando a abstinência, e a fidelidade sexual, recusando aquelas campanhas que favorecem a precocidade e promiscuidade sexual, pois as referidas campanhas demonstraram ser contraproducentes” e o início de campanhas de conciencialização sobre “os riscos de uma iniciação precoce nas relações sexuais dos menores”.
Fonte: Religión en liberdad

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:02

O Socas é o maior...

por Zulmiro Sarmento, em 02.10.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:15

Dá que pensar!...

por Zulmiro Sarmento, em 20.09.10

Um dia, quando eu era caloiro na escola, vi um miúdo da minha turma a caminhar para casa depois da aula. 
 
       O nome dele era Kyle. 
 
       Parecia que estava a carregar os seus livros todos. 
 
       Eu pensei: 
 
       -'Porque é que leva para casa todos os livros numa sexta-feira? 
 
       Ele deve ser mesmo um marrão. 
 
       Como já tinha o meu fim-de-semana planeado (festas e um jogo de futebol com meus amigos no sábado a tarde) encolhi os ombros e segui o meu caminho. 
 
       Conforme ia caminhando, vi um grupo de miúdos a correr na direcção dele. 
 
       Eles atropelaram-no, arrancando-lhe todos os livros dos braços e empurraram-no, de tal forma que ele caiu no chão. 
       Os seus óculos voaram, e eu vi-os aterrarem na relva a alguns metros e onde ele estava. Ele ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza nos seus olhos. 
 
       O meu coração penalizou-se por ele. Então, corri até ele enquanto ele gatinhava à procura dos óculos, e pude ver lágrimas nos seus olhos. 
       Enquanto lhe entregava os óculos, eu disse: 
 
       -'Aqueles tipos são uns parvos. Eles deviam era arranjar uma vida própria'. 
 
       Ele olhou para mim e disse: 
       -Ei, obrigado! 
 
       Havia um grande sorriso na sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu ajudei-o a apanhar os livros, e perguntei-lhe onde morava. 
 
       Por coincidência ele morava perto da minha casa, então eu perguntei como é que nunca o tinha visto antes. Ele respondeu que antes frequentava uma escola particular. 
 
       Conversámos todo o caminho de volta para casa, e carreguei-lhe os livros. 
 
       Ele revelou-se um miúdo muito porreiro. Perguntei-lhe se queria jogar futebol no Sábado comigo e com os meus amigos, ele disse que sim. 
 
       Ficamos juntos todo o fim-de-semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele. E os meus amigos pensavam da mesma forma. 
 
       Chegou a Segunda-Feira, e lá  estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez. Parei-o e disse: 
 
       -'Diabos, pá, vais fazer o quê com os livros de novo? 
 
       Ele simplesmente riu e entregou-me metade dos livros. 
 
       Nos quatro anos seguintes Kyle e eu tornámo-nos melhores amigos. 
 
       Quando nos estávamos a formar começámos a pensar na faculdade. Kyle decidiu ir para Georgetown, e eu ia para a Duke. 
       Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria um problema. Ele seria médico, e eu ia tentar uma bolsa escolar na equipa de futebol. 
    

      Kyle era o orador oficial da nossa turma. Ele teve que preparar um discurso de formatura. Eu estava super contente por não ser eu a subir ao palanque e discursar. 
 
       No dia da Formatura eu vi Kyle. Ele estava óptimo. Ele estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos. 
 
 Ele saía com mais miúdas do que eu, e todas as raparigas o adoravam! 
       Às vezes eu até ficava com inveja. Hoje era um desses dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso por causa do discurso. Então dei-lhe uma palmadinha nas costas e disse: 
       -Ei, rapaz, vais-te sair bem! 
 
       Ele olhou para mim com aquele olhar (aquele olhar de gratidão) e sorriu. 
       -Valeu, disse ele. 
 
       Quando ele subiu ao oratório, limpou a garganta e começou o discurso: 
 
       -'A Formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Aos pais, aos professores, aos irmãos, talvez até a um treinador. Mas principalmente aos amigos. Eu estou aqui para lhes dizer ser um amigo para alguém é o melhor que se pode dar. 
 
       Eu vou-lhes contar uma história. 
 
       Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos. 
       Ele tinha planeado suicidar-se naquele fim-de-semana. 
 
       Contou a todos como tinha esvaziado o seu armário na escola, para que a mãe não tivesse que fazer isso depois de ele morrer, e estava a levar as suas coisas todas para casa. Ele olhou directamente no meus olhos e deu-me um pequeno sorriso.    

      -'Felizmente eu fui salvo. O meu amigo salvou-me de fazer algo inominável'.   

      Eu observava, com um nó na garganta, todos na plateia, enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos sobre aquele seu momento de fraqueza. E vi a mãe e o pai dele a olharem para mim e a sorrir com aquela mesma gratidão.   

      Até aquele momento eu nunca me tinha apercebido da profundidade do sorriso que ele dirigiu naquele dia.   

      Nunca subestimes o poder das tuas acções. Com um pequeno gesto podes mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior.   

      Deus coloca-nos a todos nas vidas uns dos outros para que tenhamos um impacto um sobre o outro de alguma forma.   

      Procura o bem nos outros. 
 
 
 

Agora tens duas opções. Podes:
 
   

      1- Passar esta história aos teus amigos ou,
 
   

      2- Apagar este texto e agir como se ela não tivesse tocado teu coração. 
   

  Como podes ver, eu escolhi a primeira opção. 
   

  Amigos são anjos que nos deixam em pé quando as nossas asas têm problemas e não se lembram de como voar. 
   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:28

CAPUCHINHO VERMELHO... Versão Acordo Ortográfico de 2058

por Zulmiro Sarmento, em 25.03.10

 

Tás a ver uma dama com um gorro vermelho? Yah, essa cena! A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver?

E então disse-lhe:
- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das  árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola!
Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cagou na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod...
É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita:
- Yoo, tá td? Dd tc?
- Tásse... do gueto alí! E tu... tásse? - disse a pita
- Yah! E atão, q se faz?
- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano!
- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá?
- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata...
- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada.
- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!!
E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha 'quem é e o camano' e ele 'ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...'.
A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos...
O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver?
A pita chega, e tal, e malha na porta da velha.
- Basa aí cá pa dentro! - grita o dog.
- Yo velhita, tásse?
- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa...
- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí...
- Bacano, pa ver se trato esta cena.
- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man?
- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver?
- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é?
- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver?
- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena?
- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!!
E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tomates do man e basa porta fora! Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir agaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo alí, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha. Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!!
E prontes, já tá...
 
JoCortez 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:00

Alguns dos 126 alunos que assinam a Revista «JUVENIL» na ECCN

por Zulmiro Sarmento, em 24.04.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:45

O uso dos telemóveis por parte dos mais novos

por Zulmiro Sarmento, em 21.03.09

 
 
Conforme prometido no artigo da semana anterior, iremos agora abordar alguns cuidados que deveremos ter com o uso dos telemóveis, por parte dos mais novos.

Com a generalização deste aparelho por parte da população em geral, naturalmente que este fenómeno não poderia passar ao lado das camadas jovens. Assim, através de um recente estudo feito pelo ISCTE em Portugal, estima-se que cerca de 96% da população com idade compreendida entre os 8 e os 16 anos, sejam possuidores de telemóveis. Como tal, cabe aos educadores estarem atentos e certificarem-se que alguns pressupostos estão a ser cumpridos, para que, as nossas crianças e adolescentes não tenham dissabores desnecessários. Além das regras enumeradas no artigo anterior, estas que agora apresento, são dirigidas precisamente à faixa etária mais nova.

1. O meu filho gosta de mostrar o telemóvel novo. Com a recente onda de assaltos, é importante não colocarmos o adolescente, como alvo preferencial de furtos. Portanto, é necessário haver alguma discrição no transporte e uso do telemóvel em locais públicos.

2. O bluetooth deverá estar sempre activo? Como excelente meio de envio e recepção de dados entre aparelhos móveis, é bastante utilizado nas camadas jovens, assim deverá estar activo somente quando necessário. Devendo ainda ser protegido com uma chave de acesso, a sua activação. Para evitar acessos indevidos ao aparelho.

3. SMS e Chats, uma mistura perigosa. É cada vez mais importante recordar que os chats podem ser usados por individuos mal intencionados. Portanto, uma das primeiras abordagens feitas por estas pessoas, é o obterem o nº de contacto móvel, para assim estarem permanente ligados, mesmo quando o adolescente não está na internet. Os sms e o correio electrónico, são uma das principais técnicas de sedução usadas por molestadores.

4. O meu filho está constantemente a enviar sms. De facto eles gostam de estar em permanente contacto com os amigos e colegas, mas deverá alertar o seu filho que são cada vez mais os acidentes de viação que ocorrem com jovens a atravessar a rua, quando iam a “teclar” com um(a) colega.

Aqui ficam estes conselhos, que devemos ter presentes constantemente para que possamos disfrutar em pleno das potencialidades destes fantásticos aparelhos.


 

Fernando Cassola Marques

ECCLESIA


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:59

JAVÉ, DEUS, ALÁ (3)

por Zulmiro Sarmento, em 04.06.08

                   QUEM É DEUS... para um Cristão?

 

     Para os cristãos, Deus é aquele que criou o mundo e tudo o que nele vive. Criou o homem à sua imagem e semelhança.

     Deus manifestou-se aos homens duma maneira muito particular. Revelou-se a um pequeno povo, o povo de Israel, e concluiu com ele uma aliança para dizer que nunca o abandonaria.

     Mas Deus foi mais longe: quis partilhar a vida de todos os homens tornando-se ele próprio homem. É por isso que enviou o seu Filho, Jesus.

     O Deus dos cristãos é assim simultaneamente Deus Criador, Deus da Aliança, e o Deus que salva.

     Os cristãos reconhecem pois, que Jesus é o Filho de Deus, que se fez um de nós. É o que se chama Incarnação. Jesus Chamava a Deus "Pai, e até "Abba", isto é, "papá", em aramaico, a língua que ele falava.

     Aos olhos dos cristãos, Deus tem um rosto de Pai porque é o senhor do mundo, dum Filho, porque incarnou em Jesus de Nazaré, e também dum Espírito.

     O Espírito é o sopro de vida que fez nascer todo o universo e que, ainda hoje, é dado a todos os que o pedem.

     Deus é Pai, Filho e Espírito Santo: é por isso que se chama Trindade.

     Podem dizer-se muitas coisa acerca de Deus: é infinito e todo-poderoso, bom e misericordioso. Mas a melhor definição consiste em dizer que Deus é Amor. Ama cada homem e pede a cada um que partilhe deste amor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35

JAVÉ, DEUS, ALÁ (2)

por Zulmiro Sarmento, em 03.06.08

          

                     QUEM É DEUS... para um Judeu?

 

     Para os judeus, nenhuma palavra pode definir Deus. Ele é o Indefinível, o Totalmente Outro! E, quando se tenta dizer como Ele é — por exemplo, bom , sábio, justo ou todo-poderoso — não se revela senão uma parte da sua identidade.

     Contudo, no Livro do Deuteronómio (6,4), Moisés diz isto: "Escuta, Israel, o Senhor é nosso Deus, o Senhor é único". Esta frase resume toda a fé dum crente judeu.

     Os judeus reconhecem, pois, que Deus é Um, que é único e não se pode dividir. É Eterno, não tem princípio nem fim. Isto significa que existe desde sempre e não foi criado. Deus não tem idade!

     Mas é também o "nosso Deus!", isto é, o Deus que estabeleceu uma Aliança com o povo De Israel. E este Deus fala aos homens, pois pede-lhes para O escutar. Para um judeu, a Palavra de Deus é como um fio precioso que une o céu à terra.

     Na sua oração, os judeus dirigem-se a Deus e chamam-Lhe: "nosso pai e nossa mãe". Reconhecem-No como um pai que criou o homem à sua imagem. E este pai, fonte de toda a vida, manifesta aos seus filhos todo o seu amor e toda a sua bondade. Proclamam-no rei, quer dizer, Rei e Senhor do Universo.

     Neste universo que criou deixa imagens que proclamam a sua beleza e majestade: o perfume duma rosa, a magia dum arco-íris, a graça duma borboleta, a leveza duma brisa suave, a doçura dum fruto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03

JAVÉ, DEUS, ALÁ (1)

por Zulmiro Sarmento, em 02.06.08

     As três grandes religiões monoteístas são o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo.

     São monoteístas porque adoram um único Deus. As religiões que adoram vários deuses chamam-se politeístas.

 

     Javé é o nome dado pelo judeus.

     Deus é o nome dado pelos cristãos.

     Alá é o nome dado pelos muçulmanos.

 

     O que é que cada uma destas religiões diz acerca do seu Deus?

     Vou procurar dar uma breve resposta a esta pergunta em pequenos trabalhos sucessivos, que prezam pela extrema simplicidade. É importante, por diversos motivos, conhecer tudo isto, mas sobretudo num tempo em que se fala do diálogo inter-religioso, sobretudo com as religiões que adoram um só Deus. Todos os dias nas agências noticiosas religiosas se fala deste diálogo necessário, importante, desejado, condição para a paz. Mas também alguém afirmou que enquanto houver Religiões não haverá paz...

 

DEUS, QUEM O "INVENTOU"?

    

     A palavra "deus" vem duma língua muito antiga de origem indiana, o sanscrito. Nesta língua, Deus diz-se dei-wo, que significa "céu luminoso", o lugar onde habita a divindade.

     Desde sempre que os homens pensaram que existiam forças misteriosas em acção no universo. Manifestavam-se sobretudo através dos fenómenos naturais (tempestades, tremores de terra, inundações).

     Para se familiarizar com essas forças, procuraram entendê-las. De uma coisa tinham a certeza: deviam pertencer a um outro mundo.

     Como não conseguiam dominar essas forças, procuraram saber quem era o autor. E foi assim que apareceu o nome de Deus.

     Mas os homens não inventaram Deus, como se diria de um sábio que inventou um objecto. Na maior parte das religiões, Deus existe antes de todas as coisas, é o Criador do Universo.

      Deus é eterno: sempre existiu e existirá.

     Para adorar e respeitar a Deus, os homens estabeleceram regras, a que dão o nome de leis ou de mandamentos.

     Assim nasceram as religiões. E se existem várias religiões é porque os diferentes povos não compreenderam Deus da mesma maneira.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:40


formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D