Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Pico: Unidade Eclesial! (Ou como o padre Paulo Silva me faz lembrar alguém e que, por isso, não estou sozinho!)

por Zulmiro Sarmento, em 23.03.10

 

De alguns anos para cá a Ilha do Pico vive na vanguarda da unidade eclesial. Antes o Pico estava dividido em três Ouvidorias que correspondiam aos três concelhos, agora está unida numa só Ouvidoria correspondendo ao mandato que o Evangelho nos exige e que muito bem o nosso bispo assumiu como lema na sua acção pastoral: «Que todos sejam um».

Já vai irritando a falta de compreensão de alguns cristãos desta ilha relativamente a este tema. Alguns ainda não perceberam que não há outra Ouvidoria por cá além da Ouvidoria do Pico, cujo Ouvidor é o P. Marco Martinho e a sua sede é, finalmente, o Santuário do Senhor Bom Jesus, Santuário Diocesano. O tempo dos Afonsinhos e a disputa do lugar de «ouvidor» já acabou e ainda bem, pois passámos da divisão à união e a um trabalho em conjunto onde todas as comunidades podem estar ligadas por um fio condutor. Sei que no Pico não andamos todos à mesma velocidade, encontramos vivências de fé diferentes, mas podemos afinar todos pelo mesmo nível.
Ainda há por aí alguns saudosistas, carreiristas e aristocratas decadentes que ignoram o Evangelho, que continuam a bater nesta tecla e exigem uma coisa que hoje não faz sentido.
A vivência eclesial não se faz por meio de cargos ou instituições presentes neste ou noutro concelho, mas na unidade da fé que nos une em Cristo ressuscitado.
Ao olhar o futuro não podemos ter outra posição que não seja defender esta ideia, uma ilha e quatro zonas pastorais, uma unidade de trabalho que se concretiza em lugares diferentes conforme a capacidade de resposta de cada comunidade.
O Pico no que respeita à vivência da fé anda a quatro velocidades: A Zona da Madalena fervorosa mas muito tradicionalista, São Roque um pouco apático, Lajes muito morta e a Ponta da Ilha isolada como se de um microclima se tratasse.
Nos últimos tempos esta situação tem vindo a alterar-se com o trabalho que se vai fazendo a nível Ilha e com a partilha que vai acontecendo. Muitos se vão sentindo interpelados a criar novas dinâmicas nas suas paróquias, a partilha que há entre os padres leva a que se aceitem as boas ideias e é possível ver actividades idênticas em muitas paróquias. Graças a esta unidade eclesial no Pico há uma unidade na celebração do Crisma, há uma regra para os funerais nas Santas Casas, o CPM é a nível Ilha como mandam as regras internacionais, há já uma caminhada catequética em conjunto, a Cáritas é uma realidade Ilha e não concelhia e os padres já são mais unidos e mais amigos sem anularem as suas diferenças (sei que isto causa muitas inquietação a muita má gente).
De uma vez por todas é altura de olharmos para o bem da Igreja e não para os joguetes de interesses, gostos ou birras pessoais. A Igreja é de Jesus Cristo e Ele é o único pastor e nós somos o único rebanho. O Pico é uma Ilha e infelizmente tem três concelhos que vivem do egoísmo e de bairrismos infantis que impedem o nosso desenvolvimento. Vejamos: onde está o Hospital do Pico, a estratégia para o turismo na Ilha, o porto comercial em condições, onde está o Terminal Marítimo de passageiros longe da “bosta” das vacas e contentores e onde está a rentabilização do Aeroporto do Pico.
Uma coisa sei e dela não abdico: o Pico é uma ilha, uma unidade, uma Igreja e não uma manta de retalhos como alguns pobres de espírito, teimam em defender.
 
P.e Paulo Silva
 In Jornal «O Dever»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:00


3 comentários

De emcontratempo a 24.03.2010 às 12:00

Muito bem dito!
E mais não digo, pois afinal quem sou eu para comentar isto.
Apenas uma pobre crente.

Comentar post



formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D