Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Retógrados?! Isso não há na Igreja!!

por Zulmiro Sarmento, em 12.03.09

 

Há vozes retrógradas na igreja sobre sexualidade


JOANA FERREIRA DA COSTA e PEDRO SOUSA TAVARES
RUI COUTINHO -ARQUIVO DN

 

Igreja. Feytor Pinto diz que há muitos padres que não abordam educação sexual
Há "algumas" vozes retrógradas na Igreja sobre a educação sexual "que têm de mudar", admite o padre Vítor Feytor Pinto, que dá formação a crianças e pais sobre sexualidade na paróquia do Campo Grande em Lisboa.

Feytor Pinto - que fez estas afirmações na tertúlia Reacontece, no Casino da Figueira da Foz, na terça- -feira - recusou, porém, especificar ontem ao DN as vozes retrógradas a que se referia. "Há tantos padres que acham que não devem abordar estas questões, que têm medo de encarar o problema", afirmou. "É essa a minha luta há 27 anos", reafirmou. "Por isso me especializei, trabalhei na área, para dizer aos padres, aos bispos, o que se deve fazer nesta área extremamente importante para a educação das novas gerações."

Na sua paróquia, na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, os 620 alunos da catequese têm educação sexual e os pais também. "Damos-lhe formação de forma pedagógica, abordando esta questão a vários níveis, nomeadamente social e psicológico."

Aliás, para o responsável da Pastoral da Saúde, os pais portugueses é que precisam "urgentemente" de formação para assumirem a educação sexual dos filhos. Feytor Pinto considera que a sexualidade é "dominada por tabus" nas famílias portuguesas e que estas não estão preparadas para falarem do tema com naturalidade. "Se nós não tivermos adultos a saberem com o que é que lidam, efectivamente nunca poderão ser educadores", disse, frisando que os pais "têm de recorrer à escola" numa perspectiva complementar.

As associações de pais assumem que há quem precise de ajuda e até dão formação nesta área. E admitem que há dificuldades. Contactado pelo DN, Albino Almeida, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) diz que o organismo tem "escolas de pais" em que esse tema é transversal a todas as áreas: "Da Maia ao Algarve, temos mais de 1000 dirigentes associativos envolvidos nessas formações, que depois as transmitem aos outros pais."

Já Joaquim Ribeiro da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIP) admite alargar aos pais este tipo de formação. Mas lembra que "a educação sexual terá sempre de passar pela escola, porque há pais para quem o assunto é ainda tabu".

A psicóloga Margarida Gaspar de Matos - que fez parte do Grupo de Trabalho para a Educação Sexual (GTES) e também esteve na Figueira da Foz - diz que ainda há pais que se insurgem contra a educação sexual, que passou a ser abordada uma vez por mês nas aulas de educação para a saúde, na maioria dos estabelecimentos. "São os pais mais sofisticados e de maior escolaridade que mais problemas levantam", explicou ao DN. "Têm medo da qualidade da informação sobre sexualidade que os filhos vão receber na escola."
Diário de Notícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33



formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D