Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mês de Novembro não é somente para rezarmos pelos defuntos

por Zulmiro Sarmento, em 12.11.10

No mês de Novembro os cristãos rezam e fazem memória dos defuntos, contudo, considera o Reitor do Santuário de Fátima, este mês é também uma óptima oportunidade para uma reflexão sobre “um dos pontos que nos distingue de outras religiões, civilizações e culturas”: a fé na ressurreição.

“Este mês de Novembro não é somente para rezarmos pelos defuntos e deles fazermos memória; é sobretudo para aprofundarmos a nossa fé na ressurreição e na vida eterna; é para delinearmos todo o nosso ser e agir a partir desses horizontes de bem-aventurança que o Senhor nos oferece”, exortou o padre Virgílio Antunes, durante a homilia da missa dominical das 11h00, a 7 de Novembro, no Santuário de Fátima.

Na sua reflexão, o sacerdote destacou na vida hodierna esta ausência de perspectivas de vida eterna: “A grande falta de compromisso que hoje se sente na Igreja e entre os cristãos, pode dever-se em grande parte a esta ausência de perspectivas de eternidade, pois é fácil pensar-se que, se a vida acaba na morte, ela pode tornar-se uma paixão inútil, segundo a linguagem dos filósofos existencialistas e ateus, ou uma realidade a desfrutar até à exaustão, segundo a velha máxima carpe diem, ou então, goza a vida porque ela é curta”.

Posta de lado ou esquecida esta parte essencial da fé que é a noção da ressurreição, nota-se essa falta no agir das pessoas, e a vários níveis. O Reitor do Santuário lembrou alguns: “muitos pais cristãos não têm uma perspectiva firme de educação dos seus filhos e deixam-se influenciar por tudo o que de melhor e pior a sociedade lhes oferece; a educação cristã é menosprezada, ficando quando muito ao cuidado de alguma avó muito zelosa, que não está livre de alguma repreensão por estar a incutir ideias antigas aos seus netos; a aceitação do casamento não católico como forma normal de se unirem os cristãos entrou já na mente”.

Outros casos concretos foram referidos: “o facto de os jovens adiarem os seus compromissos familiares tem a ver com as condições de estudo e trabalho, mas tem também a ver com o facto de quererem aproveitar ao máximo a vida livres de prisões; a questão dos filhos tem a ver com as condições socioeconómicas, mas tem também a ver com o egoísmo latente que leva a querer viver sem encargos pesados; até a dependência das instituições bancárias em que muitas pessoas e famílias se encontram, em virtude dos empréstimos que não podem pagar, é, em parte, fruto da ânsia incontrolável de sugar este mundo e esta vida, na ausência de convicções acerca da outra”.

“Não podemos é viver com o nome de cristãos e a agir como pagãos. Não podemos ser filhos de Deus pelo baptismo e desprezar os mandamentos de Deus na nossa vida familiar ou social. Não podemos ser filhos da Igreja e ser dentro dela testemunho negativo ou até contribuir para que seja denegrida a sua imagem”, concluiu o Reitor.

 

LeopolDina Simões, Sala de Imprensa do Santuário de Fátima

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:44


formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D