Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PROVOCAÇÕES (tão somente!)

por Zulmiro Sarmento, em 17.04.08

     Eu assino o «Jornal Fraternizar» pelo menos desde a década de 80, se não me falha a memória. Para a grande maioria das pessoas cristãs isto não diz nada, mesmo nada. Para alguns pode gelar a espinha. Para outros motivo de esperança. Ainda outros terão deixado cair o queixo. Nunca tive a oportunidade de me reunir/encontrar/fraternizar com o «Grupo de Reflexão e Acção Pastoral» (GRAP), nos seus Encontros de Verão e/ou outros. Este Grupo de padres era uma lufada de ar fresco na pasmaceira e ditadura  "aureliana granadiana escudada", de triste memória. Tenho na minha frente todos os "documentos" do GRAP que me chegaram às mãos a meu pedido e pela porta mais secreta desde os seus primórdios. Fui expressamente proibido, em Retiro Espiritual para Ordens, de pertencer ao "grupo" que não vivia em «comunhão» com a Diocese e o seu Bispo (!!). Talvez por algum preconceito ou maldizer nunca me convidaram para participar. Teria aprendido tanto. Pena minha. Fui fazendo o meu percurso/ser igual a mim mesmo/peregrinar de forma discreta, só revelada aqui e ali de forma ainda mais discreta sobretudo em encontros de professores católicos.

     Bom, assinar o «Jornal Fraternizar» é um acto de coragem. Ouvi dizer que era a "Bíblia" dum colega sacerdote já falecido. Ele chega às mãos de poucos cristãos açorianos e picoenses. Paciência . Nunca verão que há uma Igreja outra (não disse outra Igreja!).

     Não resisto a transcrever da pág. 25 do nº169 as "Bem-aventuranças dos Padres Casados» proclamadas no Brasil num encontro de Padres Casados! Compostas por um casal abrangido pelo estigma duma estúpida Lei (estúpida apenas pelo facto de não ser uma Lei opcional).Como o bom senso exige.  Neste ponto existem aqueles que se provou em tribunal eclesiástico que (afinal) nunca foram padres, nunca receberam o Sacramento da Ordem porque alguma coisa importante estava ou não estava presente no momento de o receberem, por exemplo uma tia da América, que pagou os estudos, morria de desgosto se não fosse padre e o candidato foi levado na conversa e/ou chantagem da velhota, ou melhor o diabo/beata da velha tinha mais vocação que o sobrinho!!  E aqueles que continuam a ser em todas as suas pessoas padres, apenas pediram dispensa da famosa lei eclesiástica do celibato e lhes foi concedida (quase) sempre a ferros essa "libertação". No meu caso, estou muito bem assim e recomendo-me (para o caso dalguma dúvida existencial dalgum inimigo de estimação a meu respeito). Alguns familiares queridos davam-me o benefício de apenas um ano de vida padresca e "casaram-me" várias vezes!! Os de fora apenas me arranjaram rebentos lindos como os amores, mais uns abortos à mistura!!   

     Basta de desabafos. Vamos às "Bem-Aventuranças". Ei-las:

    

     1. Bem aventurados os Padres Casados que promovem a paz, em primeiro lugar nas suas próprias famílias e no mundo do trabalho onde eles actuam e nas comunidades onde eles fazem evangelização.

     2. Bem aventuradas as Esposas dos Padres Casados que com sua ternura, mansidão e bondade ajudam os seus maridos a serem menos dogmáticos e autoritários.

     3. Bem aventurados os Padres Casados, os que têm fome e sede de justiça e que lutam por um mundo melhor.

     4. Bem aventurados os Padres Casados, os que são perseguidos por causa da sua opção pelo matrimónio, que foram e que são esquecidos pela Igreja que eles serviram com tanto amor.

     5. Felizes todos aqueles que procuram os Padres Casados para rezarem com eles, compartilhar suas dificuldades, dores e alegrias, aceitam e apoiam os Padres Casados.

     6. Felizes vocês padres Casados e Esposas de Padres Casados que, quando foram desprezados e disseram todo o tipo de calúnia contra vocês por terem optado pelo viver a dois, nem assim esconderam seu amor um pelo outro.

     7. Felizes os Padres Casados que, apesar de não pertencerem mais ao clero, não renunciaram à missão que receberam de Cristo e continuam a servir o povo de Deus.

     8. Felizes os padres casados que, quando são tratados com indiferença por seus irmãos celibatários, não baixam suas cabeças, antes retribuem-lhes com caridade.

     9. Felizes os filhos dos Padres Casados que nos trazem tanta alegria e nos chamam a uma constante doação.

    10. Felizes os Padres Casados que se preocupam com os outros Padres Casados em sua situação financeira, pessoal e familiar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:35

Projecto pessoal de vida em Campanha de Vocações

por Zulmiro Sarmento, em 17.04.08

 

 

 

     É necessário e urgente fazer com que os adolescentes e jovens procurem dar às suas vidas um projecto belo. O conceito de BELEZA está na ordem do dia da Igreja. Sobretudo na Pastoral Vocacional.

     Um bispo da Igreja portuguesa que admiro muito (António Marto) disse recentemente aos jovens da sua Igreja Local: «A vós jovens reservo uma palavra amiga de encorajamento. Sei como é difícil a um jovem orientar-se e orientar a própria vida em sentido diverso e melhor, segundo o projecto de Deus , neste mundo que se assemelha a uma grande feira  em que são oferecidos os mais variados projectos e modelos, cada qual na embalagem mais sedutora. Quero dizer-vos, por experiência própria, que em Jesus Cristo encontramos tudo o que torna a vida verdadeira, digna, livre, nobre, grande e bela. Não vos deixeis cair na indiferença, na superficialidade e na mediocridade de vida».

     Reparem numa coisa: a nossa sociedade é a sociedade dos supermercados. Entramos, compramos coisas, pagamos e saímos. Mas há também propostas do espírito que oferecem projectos de vida, estilos de viver. E não obrigam ninguém. E não usam os processos discutíveis da publicidade que fazem rolar milhões. Apenas o "ruído ensurdecedor" materialista e hedonista que ferozmente nos cerca estraga tudo. Alguns (muitos?)adolescentes e jovens conseguem ouvir para além da voz do vento, a voz de Deus a chamar sem cessar (assim se expressa o p.e Zézinho na sua canção). Era preciso, isso sim, colocá-los em contacto uns com os outros e em regime de «pré-seminário» (ou o que quiserem chamar). Para saberem — rapazes e raparigas —  que não estão sós!

     Assim vão vingando o "projecto consumista", o "projecto vitalista", o "projecto compromisso",... e o Projecto Cristão anda para aí envergonhado. Pudera! O esforço que tem sido feito... A Catequese da Adolescência e dos Jovens, no geral, anda pelas ruas da amargura. Para muitas Comunidades até parece um assunto tabu. Muitos têm medo de se "queimarem" com o insucesso. Porque este está quase à partida garantido. (Isto é que são pessimismos meus!). Que pessoa à frente? Que equipa à frente? Que modelos vocacionais alegres, felizes, sadios, existem? Que imprimam a beleza da vocação laical, sacerdotal, religiosa? Ainda ressoam nos meus ouvidos as palavras do bispo de Vila Real na Missa Crismal de 5ª Feira Santa p. p. : «Aos padres novos tenho uma coisa a dizer: procurem saber discernir o essencial do acessório!» E a confidência de um padre transmontano sobre o que significava na Diocese do Porto "desertarem" dois padres novos por mês. Fiquei arrepiado. Tanta fachada! «Encosta a tua cabeçinha no meu ombro e chora e conta as tuas mágoas todas para mim...». Quando a Festa acaba é que são elas!!

                                                            §§§

     Estou aberto a sugestões. Na Escola faço o que posso com as  diversas linguagens e os materiais disponíveis. Gostava que muitos mais alunos escrevessem o que pensam, aqui. Um(a) ou outro(a) atreve-se. O pior é que há na Escola pública portuguesa um "parente pobre" que se chama Educação Moral e Religiosa. Um Estado laico ajudava bastante, mas laicista!?... militantemente ateu!?... com a Maçonaria a dar ordens  (quase) descaradas!?...

     Estou ansioso por chegar a Julho p.f. para participar no Encontro de Professores dos Açores de E.M.R.C. em São Miguel. Partilhar alegrias e esperanças, tristezas e angústias vai fazer-me bem. E com o Sr. Secretário, ainda melhor.

     Não pensem que esgotei o assunto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:28

Sabedoria popular 1

por Zulmiro Sarmento, em 15.04.08

         

          A ignorância e o vento

são do maior atrevimento.

provérbio português

          Se o teu inimigo é uma formiga,

vê nele um elefante.

provérbio turco

          A má companhia torna o bom,

mau e o mau, pior.

provérbio português

          Nenhum ser amado

é considerado feio.

provérbio irlandês

          A melhor vitamina que existe

extrai-se da alegria.

provérbio português

          Não prometas cera ao santo

nem bolos ao menino.

provérbio grego

          A mocidade ociosa,

velhice trabalhosa.

provérbio português

          Deves crer na felicidade,

se não ela nunca te visitará.

provérbio árabe

          O diplomata é aquele que

dá sete voltas à língua

antes de começar a falar.

provérbio árabe

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:25

A AMIZADE

por Zulmiro Sarmento, em 14.04.08

      

              Faz com que aquelas pessoas com quem falas se tornem tuas amigas.

       D. Bosco

 

       Todos querem ter um amigo, mas ninguém se preocupa em sê-lo.

       Afonso Karr

 

       O verdadeiro amigo é aquele que adivinha sempre quando necessitas dele.

       J. Renard

 

       Quem é amigo de todos não é amigo de ninguém.

       A. Shopenhauer

 

       A amizade é a única coisa que torna habitável este pequeno globo que é a Terra.

       J. Capograssi

 

       Se o teu amigo é cego de um olho, olha-o de perfil.

       Confúcio

 

       Sou amigo do meu amigo mas primeiro sou amigo da verdade.

       Cícero

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:05

Somos animais sem razão?

por Zulmiro Sarmento, em 13.04.08

    Um monge e os seus discípulos iam de viagem. Ao passar por uma ponte, viram um escorpião a ser arrastado pela água. O monge mergulhou e agarrou-o. Nisto, o escorpião picou o monge, que, devido à dor, o deixou cair no rio. Saiu da água, procurou um ramo, entrou outra vez na água do rio e resgatou o escorpião de morte certa. Depois, juntou-se aos seus discípulos, que lhe disseram: «Mestre, deve estar doente! Porque resgatou esse escorpião mau e venenoso, que lhe picou a mão que o salvou?»

     — Ele agiu conforme a sua natureza, e eu de acordo com a minha. (Fábula da Ásia)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:27

ÁLGUÉM TOMA CONTA DE NÓS

por Zulmiro Sarmento, em 12.04.08

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:02

SEM AMOR

por Zulmiro Sarmento, em 11.04.08

     

  

                 Sem amor,

          a inteligência torna-te perverso.

          Sem amor,

          a justiça torna-te implacável.

          Sem amor,

          o êxito faz-te arrogante.

          Sem amor,

          a riqueza faz de ti um avarento.

          Sem amor,

          a beleza não te torna realmente belo.

          Sem amor,

          a autoridade faz de ti um tirano.

          Sem amor,

          o trabalho torna-te escravo.

          Sem amor,

          a lei não te liberta.

          Sem amor,

          a fé torna-te fanático.

          Sem amor,

          a cruz converte-se numa tortura.

          Sem amor,

          a tua vida não tem sentido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:31

Feio e bonzinho como o senhor...

por Zulmiro Sarmento, em 10.04.08

    

  Em 1982, um dos filmes que causou maior sucesso foi «E.T.», o EXTRATERRESTRE.

     Este filme conta a história de um simpático alienígena que chegou à Terra e foi ajudado por um menino de dez anos a escapar aos Serviços Secretos dos Estados Unidos da América podendo assim regressar novamente ao seu planeta.

     Como naquela época (anos 80) não se falava de outra coisa senão desse curioso filme, o então arcebispo de Olinda e Recife (Brasil), D. Hélder Câmara, resolveu levar ao cinema alguns meninos de um bairro pobre.

     Quando, no fim, saíram da sala, ele perguntou-lhes se tinham gostado do filme. Resposta pronta de um deles: "Eu gostei muito do ET . Ele era feio e bonzinho como o senhor!"

     O personagem do ET era, de facto, muito feio mas tão simpático que a gente ao fim acabava por se apaixonar por ele. Assim aconteceu com D. Hélder Câmara, nascido em Fortaleza, Ceará, em 7 de Fevereiro de 1909. Era baixinho, tímido e desajeitado e com um rosto patusco, mas transformava-se num gigante quando lutava contra as injustiças cometidas pelos governantes.

     Passou grande parte da sua vida afirmando que Jesus amava os pobres e que era por eles que a Igreja devia lutar. Quando morrermos, dizia, todos seremos julgados pelo acolhimento que tivermos dado aos que têm fome, aos que têm sede, aos que andam sujos..., aos que estão feridos ou são oprimidos... Desde a sua ordenação sacerdotal, em 1931, tornou-se o porta voz dos residentes nas favelas imundas , dos mendigos, dos sem abrigo, daqueles que nada tinham.

     Na minha adolescência li muito sobre ele e era tema obrigatório nas aulas de Moral os seus escritos proféticos. Outros tempos!

     Assim sendo, nada mais saboroso que esta história com a resposta na ponta da língua da criança que foi levada ao cinema.

     "Cheira-me" que um padre e uma freira, jeitosos de feição, têm hoje mais hipóteses de chamariz vocacional que um pobre desajeitado, papudo, orelhudo, de penca e modos simples! Criou-se esta mentalidade mesquinha como se a fonte das suas auto-estimas estivesse aí. Uma coisa é certa: muitos na Igreja espalham o seu charme como se fosse garantia de algum êxito apostólico! Uns tristes complexados! Ámen.

    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18

O MESMO... COM OUTRAS PALAVRAS!

por Zulmiro Sarmento, em 07.04.08

     «Estava um cego sentado numa calçada em Paris, com um boné aos pés, e um pedaço de madeira onde alguém tinha escrito com giz branco:

     — "Por favor, ajude-me, sou cego."

     Um publicitário, da área da criação, passou diante dele e notou que o mendigo tinha poucas moedas no boné. Sem pedir licença, pegou no pedaço de madeira e no giz e escreveu outro anúncio. Voltou a colocar a tabuleta aos pés do cego e foi-se embora.

     Ao cair da tarde, passou novamente em frente do mendigo cego e verificou que o boné estava cheio de moedas e notas.

     O cego reconheceu os passos do publicitário e perguntou-lhe se tinha sido ele quem tinha escrito um novo anúncio naquele pedaço de madeira e principalmente o que tinha escrito que tornara as pessoas mais generosas.

     O publicitário respondeu:

     — Não escrevi nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas fi-lo com outras palavras.

     E sorrindo continuou o seu caminho.

     O cego só mais tarde soube o que estava escrito. O seu novo cartaz dizia:

     "Hoje é Primavera em Paris e eu não posso vê-la!»                                                                                                                                                       

Pois é!

É sempre bom mudarmos de estratégia sobretudo quando as coisas não correm bem. No que diz respeito à Igreja Católica muita coisa, ao nível da linguagem, tem muito (mas mesmo muito) que mudar, para chegar à mente e ao coração: dos baptizados praticantes, indiferentes, agnósticos, ateus, aos necessitados de  nova evangelização (se é que alguma vez foram verdadeiramente evangelizados e catequizados!) - que são a maioria! - pelo processo catecumenal , doutras Igrejas irmãs e doutras Religiões. Ou o pessoal eclesiástico e laical não se apercebe ou não tem pachorra. Porque dá trabalho estudar. E é preciso gozar a vida gastando horas pela noite dentro e dormindo de dia, enquanto se é novo... porque os mais velhos têm é inveja (!). Até que rebente a saúde, se é que... Bom, jantaradas e mais jantaradas e ainda mais jantaradas para em seguida se pensar noutra jantarada! Que tempo resta!? Sinal dos tempos: "pastoral das jantaradas"... mas também há a "pastoral da água de colónia" e a "pastoral da roupa de marca" e a "pastoral do orgulhosamente só"!

Estou numa ânsia para ver aonde isto vai dar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:33

Eu gosto de saber estas notícias...

por Zulmiro Sarmento, em 07.04.08

 

Michael Heller, sacerdote católico, cosmólogo e matemático, polaco de nascimento, recebeu o prémio académico mais reconhecido do mundo por um estudo que mostra como a matemática pode oferecer provas indirectas da existência de Deus. O prémio é de 1 milhão e 170 mil Euros.

As teorias do Pe. Heller não se centram tanto em oferecer provas da existência de Deus, mas em suscitar dúvidas acerca da realidade. A sua especialidade são as fórmulas complexas, desenvolvidas há mais de 40 anos, capazes de explicar qualquer coisa, inclusive a sorte, através do cálculo matemático.

O júri distinguiu-o pelas suas concepções originais sobre "a origem e a causa do universo". Através de uma "teológica da ciência" colocou a visão cristã do universo no quadro mais amplo do contexto cosmológico.

Michael Heller, de 72 anos, é professor na Faculdade de Filosofia da Academia Pontifícia de Teologia de Cracóvia, Polónia e foi amigo pessoal do Papa João Paulo II. As suas pesquisas «ampliaram o horizonte metafísico da ciência», segundo fontes da Fundação Templeton, que há 35 anos concede o prémio ao progresso para a pesquisa ou desenvolvimento de realidades espirituais.

O prémio será oficialmente entregue pelo Príncipe Filipe, duque de Edimburgo, numa cerimónia privada em 7 de Maio, em Londres. Anteriormente foram agraciados com este prémio a Madre Teresa de Calcutá (Beata), o escritor Alexander Solzhenitsyn, o reverendo Billy Graham e o líder espiritual indiano Pandurang Shastri Athavale.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03



formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D