Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


No rescaldo do Carnaval

por Zulmiro Sarmento, em 08.02.08

          Passado que foi o Carnaval (que para mim foi vivido apenas pelo que mostrou a TV) apetece-me fazer algumas considerações sobre o que se passou este ano e no passado.

          Nas indumentárias/disfarces de Carnaval é recorrente vermos pessoas envergando trajes (quase sempre) de índole católica mais ou menos clara: 'frades e freiras', 'padres e bispos', com alfaias litúrgicas e objectos de culto... católico. Peças de vestuário e utensílios do culto muitas vezes tiradas das gavetas das sacristias sem conhecimento remoto dos párocos e que são usadas ainda (e mesmo que não fossem!) nos actos litúrgicos.

          Se nas crianças isso seria (mais ou menos) tolerável, mesmo que deseducando para o conceito de sagrado, em adultos - muitos deles primando por serem não ou pouco praticantes, mas ridicularizantes quanto baste - isso passa a roçar o abjecto, a ofensa e até o sacrílego.

          Ora, nem que seja por mera suposição mental, tentemos imaginar como reagiriam os nossos irmãos muçulmanos, judeus, budistas, hindus... se usássemos as suas vestes sagradas ou de visualização dos seus ministros de culto para nos disfarçarmos em desfile/montra de Carnaval. Pelo menos dos seguidores do profeta Maomé, se tal ousássemos, teríamos certamente uma reacção, no mínimo, contundente ou até suficientemente agressiva ou até mortífera, dos sectores fundamentalistas (que todas as religiões têm) para com os ocidentais (mais ou menos) infiéis. O pessoal, dito do ocidente, tem uma tendência doentia para esquecer as caricaturas do diverso tipo que tanta celeuma, ameaças e mortes, provocaram num passado recente. Para não falar, em ambiente de lição universitária, duma passagem escrita, doutros séculos, sobre determinada religião... em que o intelectual do Papa Bento XVI andou metido. Mesmo tendo carradas de razão.

          O que se sabe é que vários países da Europa têm a auto - proibição de venda destes trajes com sabor religioso, tanto cristão como outros. O que quer dizer, a nós pobres portugueses, que há sociedades muito mais evoluídas que a nossa, a nível de amadurecimento humano, cultural e social - por certo mais atentas ao que tal atitude significa - que viram há muito tempo que as religiões não podem ser objecto de chacota (NENHUMA e NUNCA!), pois se está a ofender umas das dimensões mais profundas da pessoa humana, a sua fé.

          Afinal, Portugal (a Europa) precisa, urgentemente, de reflectir sobre o seu caminho de identidade cultural, tanto nos grandes como nos pequenos aspectos. São horas de começar já...

          Uma sugestão: tanto mal faz a Maçonaria em Portugal... porque não vai esse pessoal, no próximo ano, vestido de avental e com o rigor dos arreios das lojas maçónicas?! Queria ver a cara desses que se julgam a nata intelectual e emancipada do meio!! Passa fora!

          Na Vila da Madalena, teve a sua graça, uma criança de uns quatro anos, paramentado à Quaresma, com vestes de simples costureira, e de óculos de sol escuros... Fiquei a magicar com os meus botões a ver se descobria qual o padre destas bandas que anda nas procissões de óculos de sol, todo p'rá frentex ...!! Aceito ajudas na descoberta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:57

400 anos e tão actual! (1)

por Zulmiro Sarmento, em 08.02.08

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:20

Humor em 4ª feira de Cinzas

por Zulmiro Sarmento, em 06.02.08

 

                       A primeira vez que Corville entrou como ministro no gabinete do rei francês Luís XVIII, começou por deixar em cima da secretária real, a carteira, os óculos e o lenço...

         O rei, surpreendido, perguntou-lhe:

         - Vieste aqui esvaziar os teus bolsos?!

         - Sim, Senhor, quero distinguir-me dos que vêem aqui apenas para enchê-los...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:07

HOJE...

por Zulmiro Sarmento, em 06.02.08

- Hoje tratarei de viver exclusivamente este meu dia, sem querer resolver o problema da minha vida de uma só vez.

 

- Hoje terei o máximo cuidado com o meu modo de tratar os outros. Delicado nas minhas maneiras, não criticarei ninguém, não pretenderei melhorar ou disciplinar ninguém senão a mim mesmo.

 

- Hoje me sentirei feliz com a certeza de ter sido criado para ser feliz, não só no outro mundo, mas também neste.

 

- Hoje me adaptarei às circunstâncias sem pretender que as circunstâncias se adaptem a todos os meus desejos.

 

- Hoje dedicarei dez minutos do meu tempo a uma boa leitura, lembrando-me de que assim como é preciso comer para sustentar o corpo, assim também a leitura é necessária para alimentar a vida da minha alma.

 

- Hoje praticarei uma boa acção sem contá-la a ninguém.

 

- Hoje farei uma coisa de que não gosto, e se for ofendido nos meus sentimentos procurarei que ninguém o saiba.

 

- Hoje farei um programa bem completo do meu dia. Talvez não o execute perfeitamente, mas em todo o caso vou fazê-lo. E guardar-me-ei bem de duas calamidades: a pressa e a indecisão.

 

- Hoje não terei medo de nada. Em particular, não terei medo de gozar do que é belo e não terei medo de crer na bondade.

Papa João XXIII

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32

SER FELIZ OU TER RAZÃO

por Zulmiro Sarmento, em 06.02.08

          Oito da noite numa avenida bastante movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos.

          O endereço é novo, assim como o caminho que ela conferiu no mapa antes de sair. Ele guia o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem a certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.

          Ele vira à direitas e percebe depois que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado , enquanto faz  o retorno.

          Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde. Mas ele ainda quer saber:

          - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indicando o caminho errado, devias insistir um pouco mais.

          E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite.

          Moral da história: Esta pequena história foi contada por uma empresária durante uma palestra sobre «simplicidade no mundo do trabalho».

          Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente de tê-la ou não.

          Desde que ouvi esta história, tenho-me perguntado com mais frequência: « Quero ser feliz ou ter razão?».

          E ainda: « Justificar-me para quê?... Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam.»

          Pensemos nisto e sejamos felizes.                   

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:14

NUNC DIMITTIS

por Zulmiro Sarmento, em 02.02.08

 

 

Agora, Senhor, segundo a vossa palavra,

      deixareis ir em paz o vosso servo,

porque meus olhos viram a salvação

      que oferecestes a todos os povos,

luz para se revelar às nações

      e glória de Israel, vosso povo.

                                              Lc. 2,29-32

          A Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Candeias, freguesia de Candelária, Pico, Açores, possui esta bela "imagem" do justo e piedoso velho Simeão (adquirida, nos conturbados anos 70, pelo pároco de então, p.e António Filipe Madruga, homem tridentino, de grande abrangência e sensibilidade litúrgica e que a conduziu de forma pacífica - ao contrário de outras lástimas que têm passado por aí - , mas que fez um enorme esforço de adaptação à reforma do II Concílio do Vaticano) que teve o privilégio, referido no Evangelho, de tomar em seus braços o Salvador, o esperado das nações. Ei-lo aqui de mãos erguidas para o céu numa atitude de louvor e agradecimento. Atitude impressionante, extraordinariamente conseguida pelo escultor, certamente feliz pela obra realizada.

              O cântico evangélico colocado nos lábios do venerando velho Simeão é rezado pela Igreja na Liturgia das Horas na oração da noite (Completas). Queríamos também morrer em paz, porque já experimentamos a salvação trazida pela Luz das Nações, mas certamente que ainda não é chegada a hora porque é preciso testemunhar esta mesma Luz, que é Cristo. E há tantos e tantas que O desconhecem em virtude duma educação na fé que ainda anda hoje pelas ruas da amargura... o pior é que as pessoas estão a ter o hábito de agradecer ao padre pelo facto da conferência, reunião, encontro, homilia, catequese, ter sido rápido. Já não se consegue hoje fazer uma coisa com cabeça, tronco e membros. Todos querem é coisas para despachar e muito menos comprometer...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Fiquei sem fala!... (sem comentários)

por Zulmiro Sarmento, em 01.02.08

          Como já tirei várias vezes ovos debaixo de galinhas sem elas darem por isso, não me foi difícil ter nas mãos uma folha A4 com os "Shots" (??) impressos para uma "Rave" (??) de jovens, constituídos em Grupo. Disseram-me há momentos que a lista está ainda muito incompleta. Imagino.

          Que nomes dão àquelas "caldeações"!... Que nomes!!

          Aqui vai ela (para que os mais adultos não passem por ignorantes, botas de elástico (!!) e mais umas quantas coisas de quem não vai com os tempos, segundo os dizeres experimentados e sabidos duns adolescentezinhos que percebem de computadores e afins e... mais nada)  neste tempo de Carnaval de tantas peripécias, exageros e verdades que vêm ao de cima com a bebida:          

           Shots

TGV: gin, tekila, vodka.

TGVA: gin, tekila, vodka, absinto.

B'52: licor de café, creme whisky, groselha, vodka.

ORGASMO: creme whisky, groselha, vodka.

MORANGUITO: batido de côco, groselha, vodka.

MAMADA: vodka, absinto, malibu, groselha.

NEON GHOST: vodka, bacardi, licor de café, creme whisky.

SANGUE DE CRISTO: gold strike, absinto, groselha,

DOPEY NIGHT: coração azul, vodka, tekila.

PLASMA: vodka, gin, absinto.

PONTO G: absinto, groselha, vodka.

ORGIA: vodka, licor de café, creme whisky.

SEPULTURA: vodka, absinto.

KALASH: vodka, limão, absinto, açúcar.

ARREBENTA BOIS: cachaça, gold strike, vodka, absinto.

CLIMAX: malibu, coração azul, licor de café, vodka, whisky, absinto.

NÃO O BEBES: absinto, canela em pó.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:52

Pág. 2/2



formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D