Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diferenças entre céu e...

por Zulmiro Sarmento, em 15.02.12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Foi tudo muito rápido. A executiva bem-sucedida sentiu uma pontada no
peito, vacilou, cambaleou. Deu um gemido e apagou-se. Quando voltou a
abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal.

Ainda meio tonta, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas. Todas
vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender
bem o que estava a acontecer, a executiva bem-sucedida abordou um dos
passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar com urgência para o meu escritório,
porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida
para cá por engano, porque o meu seguro de saúde é Platina, e isto
aqui está a parecer-me mais a urgência dum Hospital público. Onde é
que nós estamos?

- No céu.

- No céu?...

- É.

- O céu, CÉU....?! Aquele com querubins, anjinhos e coisas assim?

- Exacto! Aqui vivemos todos em estado de graça permanente.

Apesar das óbvias evidências, ausência de poluição, toda a gente a
sorrir, ninguém a usar telemóvel, a executiva bem-sucedida levou tempo
a admitir que havia mesmo batido a bota.

Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das
infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação
era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana iria receber o
bónus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de
presidente do conselho de administração da empresa.

E foi aí que o interlocutor sugeriu:

- Talvez seja melhor a senhora conversar com Pedro, o coordenador..

- É?! E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?
- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.


- Assim? (...)

- Quem me chama?

A executiva bem-sucedida quase desabava da nuvem. À sua frente,
imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o
próprio Pedro.
Mas, a executiva tinha feito um curso intensivo de approach para
situações inesperadas e reagiu logo:

- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...

- Executiva... Que palavra estranha. De que século veio?

- Do XXI. O distinto vai dizer-me que não conhece o termo 'executiva'?

- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.

Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima
autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em
modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante
currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma
posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.

- Sabe, meu caro Pedro. Se me permite, gostaria de lhe fazer uma
proposta. Basta olhar para essa gente toda aí, só na palheta e andando
a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para
dar um upgrade na produtividade sistémica.

- É mesmo?

- Pode acreditar, porque tenho PHD em reorganização. Por exemplo, não
vejo ninguém usando identificação. Como é que a gente sabe quem é quem
aqui, e quem faz o quê?

- Ah, não sabemos.

- Percebeu? Sem controlo, há dispersão. E dispersão gera desmotivação.
Com o tempo isto aqui vai acabar em anarquia. Mas podemos resolver
isso num instante implementando um simples programa de targets
individuais e avaliação de performance.

- Que interessante...

- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um
organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de
perfis psicológicos não consigam resolver.

- !!!...???...!!!...???...!!!

- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a
definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas
factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do
investimento do Grande Accionista... Ele existe, certo?


- Sobre todas as coisas.

- Óptimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing
progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de
procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de
produtos alternativos de alto valor agregado. O mercado telestérico,
por exemplo, parece-me extremamente atractivo.

- Incrível!

- É óbvio que, para conseguir tudo isso, teremos de nomear um board de
altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa
assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e
mordomias da praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho
a certeza de que vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela
frente vai resultar num Turnaround radical.
- Impressionante!

- Isso significa que podemos partir para a implementação?

- Não. Significa que a senhora terá um futuro brilhante... se for
trabalhar com o nosso concorrente. Porque acaba de descrever,
exactamente, como funciona o Inferno...

Max Gehringer
(Revista Exame)



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:16

A nova alcunha do Governo

por Zulmiro Sarmento, em 21.12.11


 
 

A nova alcunha do Governo é 'LÁTINHA'... 

A gente anda pela rua, aponta para as portas fechadas e diz:

 
 
 

...... TINHA uma loja...

 
...... TINHA uma fábrica...
 
...... TINHA um armazém...
 
...... TINHA trabalhadores...
 
...... TINHA um sonho...
 
...... TINHA esperança...
 
...... TINHA uma escola...
 
...... TINHA um serviço de urgência...
 
...... TINHA esperança de dias melhores...



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:06

Registo Civil de Beja...

por Zulmiro Sarmento, em 15.11.11

 

ABSOLUTAMENTE HILARIANTE!!!

Claro, só aqui mesmo é que acontecem essas coisas!

Quando passarem por Beja, poderão certificar se é verdade ou não.......

O Registo Civil de Beja recebeu o seguinte requerimento:

Beja, 5 de Fevereiro 2006.
Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau do meu nome, já que a presença do Pau me tem deixado embaraçada em várias situações. Desde já agradeço a atenção despendida.
Peço deferimento,

Maria José Pau.


Em resposta, recebeu a seguinte mensagem:
Cara Senhora Pau:
Sobre a sua solicitação da remoção do Pau, gostaríamos de lhe dizer que a nova legislação permite a remoção do Pau, mas o processo é complicado e moroso.
Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a remoção é mais fácil, pois, afinal de contas, ninguém é obrigado a usar o Pau do cônjuge se não quiser. Se o Pau for do seu pai, torna-se mais difícil, pois o Pau a que nos referimos é de família e tem sido utilizado há várias gerações.
Se a senhora tiver irmãos ou irmãs, a remoção do Pau torná-la-ia diferente do resto da família.


Cortar o Pau do seu pai pode ser algo muito desagradável para ele. Outro senão está no facto do seu nome conter apenas nomes próprios, e poderá ficar esquisito, caso não haja nada para colocar no lugar do Pau. Isto sem mencionar que as pessoas estranharão muito ao saber que a senhora não possui mais o Pau do seu marido.

Uma opção viável seria a troca da ordem dos nomes. Se a senhora colocar o Pau na frente da Maria e atrás do José, o Pau pode ser escondido, pois poderia assinar o seu nome como "Maria P. José".

A nossa opinião é a de que o preconceito contra este nome já acabou há muito tempo e visto que a senhora já usou o Pau do seu marido por tanto tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais.

Eu mesmo possuo Pau, sempre o usei e muito poucas vezes o Pau me causou embaraços.

Atenciosamente,
Bernardo Romeu Pau Grosso
Registo Civil de Beja

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:17

Que Deus seja servido! Já não aguentava mais tanta carne de frango ... e de perú!

por Zulmiro Sarmento, em 26.05.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:20

Há pessoas que não fazem mesmo falta nenhuma...!!

por Zulmiro Sarmento, em 02.03.11

FAZES FALTA NA TUA EMPRESA   ?


Em Nairóbi, Quénia, depois de um criterioso processo de recrutamento com
entrevistas, testes e dinâmicas de grupo, uma grande empresa contratou um
grupo de canibais para fazerem parte da sua equipa.

 - "Agora fazem parte de uma grande equipa" - disse o Director de RH durante
a cerimónia de boas vindas.

 - "Vocês vão desfrutar de todos os benefícios da empresa. Por exemplo,
podem
ir à cantina da empresa quando quiserem para comer alguma coisa. Só peço
que não comam os outros empregados, por favor!"

Quatro semanas mais tarde, o chefe chamou-os:

 - "Vocês estão a trabalhar bastante e eu estou satisfeito. Mas a mulher que
serve o café desapareceu. Algum de vocês sabe o que pode ter acontecido?"

Todos os canibais negaram com a cabeça.

Depois do chefe ir embora, o líder canibal pergunta-lhes:

 - "Quem foi o idiota que comeu a mulher que servia o café?"

Um deles, timidamente, ergueu a mão.

O líder respondeu:

 - "Mas tu és mesmo uma besta! Nós estamos aqui, com esta tremenda
oportunidade nas mãos. Já comemos 3 directores, 2 subdirectores, 5
assessores, 2 coordenadores, e uns 3 administradores, durante estas quatro
semanas sem ninguém perceber nada. E poderíamos continuar ainda por um
bom tempo. Mas não... Tu tinhas de estragar tudo e comer uma pessoa que faz
falta!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:25

ADVOGADOS: um exemplo a seguir!!

por Zulmiro Sarmento, em 16.02.11

Um agente de trânsito pára um advogado que conduzia em excesso de velocidade.

 - Posso ver a sua carta de condução?

 - Não tenho. Foi suspensa na última vez em que cometi uma infracção.

 - Posso então ver o registo de propriedade do veículo?

 - O carro não é meu. Eu roubei-o!

 - O carro é roubado?

 - Sim, é verdade. Mas agora que penso nisso, acho que vi o registo de propriedade no porta-luvas, quando lá pus a minha pistola...

 - Tem uma pistola no porta-luvas?

 - Sim. Coloquei-a lá depois de matar a dona do carro e de colocar o corpo dela na bagageira.

 - Tem um corpo na bagageira???

 - Sim, senhor.

 Ao ouvir isso, o agente chamou imediatamente o seu superior. O carro foi rapidamente cercado por um cordão policial e o capitão aproximou-se do veículo para controlar a situação.

 - Senhor, posso ver a sua carta de condução?

 - Claro, aqui está ela. (A carta é válida)

 - A quem pertence este veículo?

 - É meu, senhor guarda. Aqui tem o registo de propriedade. (O carro é, de facto, do condutor e advogado)

 - Abra, por gentileza, o seu porta-luvas, lentamente, por favor..

 - Sim, senhor. (O porta-luvas está vazio)

 - Quer abrir a bagageira, por favor?

 - Sim, senhor. (Não tem corpo nenhum)

 - Não compreendo. O agente que o mandou parar disse que o senhor afirmou não ter carta de condução, ter roubado o carro, ter uma arma no porta-luvas e um corpo na bagageira!!!???

 - Ah!!! E aposto que ESSE MENTIROSO também disse que eu ia em excesso de velocidade... Só me faltava mais essa!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:54

CARTA DE UMA MÃE ALENTEJANA

por Zulmiro Sarmento, em 07.02.11


Mê querido filho

Ponho-te estas poucas linhas que é para saberes que tôu viva.

Escrevo devagar porque sei que não gostas de ler depressa. Se receberes esta carta, é porque chegou. Se ela não chegar, avisa-me que eu mando outra.

O tê pai leu no jornal que a maioria dos acidentes ocorrem a 1 km de casa. Por isso, mudámo-nos pra mais longe.

Sobre o casaco que querias, o tê tio disse que seria muito caro mandar-to pelo correio por causa dos botões de ferro que pesam muito. Assim, arranquei os botões e meti-os no bolso. Quando chegar aí prega-os de novo.

No outro dia, houve uma explosão na botija de gás aqui na cozinha. O pai e eu fomos atirados pelo ar e caímos fora de casa. Que emoção: foi a primeira vez em muitos anos que o tê pai e eu saímos juntos.

Sobre o nosso cão, o Joli, anteontem foi atropelado e tiveram de lhe cortar o rabo, por isso toma cuidado quando atravessares a rua.

Na semana passada, o médico veio visitar-me e colocou na minha boca um tubo de vidro. Disse para ficar com ele por duas horas sem falar. O tê Pai ofereceu-se para comprar o tubo.

Tua irmã Maria vai ser mãe, mas ainda não sabemos se é menino ou menina. Portanto, nã sei se vais ser tio ou tia.

O tê mano Antóino deu-me hoje muito trabalho. Fechou o carro e deixou as chaves lá dentro. Tive de ir a casa, pegar a suplente para a abrir. Por sorte, cheguei antes de começar a chuva, pois a capota estava em baixo.

Se vires o Sr. Alcino, diz-lhe que mando lembranças. Se nã a vires, nã digas nada.


Tua Mãe Mariana·


PS: Era para te mandar os 100 euros que me pediste, mas quando me lembrei já
tinha fechado o envelope.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:00

Havia beatas...

por Zulmiro Sarmento, em 22.01.11

A ASAE foi à igreja...

e encerrou a porta.

Motivos:

- As hóstias não tinham selo de qualidade,
- O vinho não estava engarrafado,
- E, mesmo sendo proibido fumar, havia beatas por todo o lado...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:17

Vantagens de saber Latim

por Zulmiro Sarmento, em 15.01.11

 

'ADEMUS AD MONTEM FODERE PUTAS CUM PORRIBUS NOSTRUS'



Tradução:

'VAMOS À MONTANHA PLANTAR BATATAS COM AS NOSSAS ENXADAS'


Tás a ver, se soubesses Latim não pensavas  em asneiras...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:40

É sempre um prazer ....

por Zulmiro Sarmento, em 05.11.10

  
Fazê-lo parado fortalece a coluna,
 
de barriga para baixo estimula a circulação do sangue,
 
de barriga para cima é mais agradável,
 
fazê-lo sozinho é enriquecedor, mas egoísta,
 
em grupo pode ser divertido,
 
no w.c. é muito digestivo,
 
no automóvel pode ser perigoso...
 
Fazê-lo com frequência
 
desenvolve a imaginação,
 
a dois, enriquece o conhecimento,
 
de joelhos, torna-se doloroso...
 
Enfim, sobre a mesa ou sobre ao secretária,
 
antes de comer ou à sobremesa,
 
sobre a cama ou numa rede,
 
despidos ou vestidos,
 
na relva ou sobre o tapete,
 
com música ou em silêncio,
 
entre lençóis ou no roupeiro:
 
Fazê-lo é sempre um acto de amor e de enriquecimento
 
Não importa a idade, nem a raça, nem o credo, nem o sexo, nem a posição
 económica...
 

 Ler é um prazer!!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:27


formar e informar

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Passaram por aqui

web counter free



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D